Férias: como criar rotinas e combinados com os filhos em casa?

Férias: como criar rotinas e combinados com os filhos em casa?

“O primeiro passo é fazer um planejamento. Embora a agenda seja algo a ser descartado nas férias, vale lembrar que ela ajudará a equilibrar os momentos de estudo e de lazer e, quando criada junto à família, estreita os laços familiares, pois muitas vezes a relação entre pais e filhos fica prejudicada em virtude da demanda de trabalho dos pais”...

Leia mais
O dia do amigo e a importância da amizade

O dia do amigo e a importância da amizade

As primeiras pesquisas acerca das consequências da pandemia demonstram a gravidade da situação. Os motivos para essa crise no espectro da saúde mental nas diferentes faixas etárias são diversos e englobam fatores objetivos, como demissão, perda de pessoas próximas e intensificação de problemas emocionais que já existiam; mas, também aspectos subjetivos: se o isolamento foi difícil para alguns, retomar o convívio com amigos, professores e colegas de trabalho, ainda que represente a volta para um lugar conhecido, também implica em desafios....

Leia mais
Coletivo Humana Mente: professores e estudantes exploram a empatia por meio das artes

Coletivo Humana Mente: professores e estudantes exploram a empatia por meio das artes

É fundamental pensar, a cada dia, como fazer da escola um ambiente seguro para todos, não só em termos de integridade física, mas seguro do ponto de vista mental, das suas capacidades intelectuais, de ação e para que as pessoas possam ser elas mesmas. Assim, é possível construir um colégio que acolha e valorize a diversidade em todas as suas formas....

Leia mais
Bullying: entendendo as perspectivas da vítima, do agressor e das testemunhas

Bullying: entendendo as perspectivas da vítima, do agressor e das testemunhas

Nos casos de bullying, há uma tríade: a vítima, o autor e as testemunhas. A vítima é quem tem uma ou mais características colocadas em evidência, sejam elas de ordem física, cognitiva ou comportamental - o alvo usual costuma ser aquele que não se enquadra, por qualquer razão, em um padrão preestabelecido pelo agressor. Algumas manifestações comuns a estas crianças e adolescentes que podem ser percebidas no dia a dia são: frequência irregular às aulas, pedidos para troca de sala sem justificativa aparente, baixa autoestima, tristeza ou irritação contínua e queda brusca no rendimento escolar....

Leia mais