Como construir memórias afetivas com os filhos?

Mariana Abbate, orientadora educacional do Colégio Rio Branco, comenta os benefícios e as formas de criar lembranças marcantes na vida das crianças

Você já ouviu falar em memória afetiva? Trata-se de uma lembrança ou recordação que está associada a uma emoção específica e, portanto, tem um impacto profundo na vida das pessoas. Essas lembranças são desencadeadas quando o indivíduo tem contato com algum cheiro, cor, gosto ou outro sentido que remete ao acontecimento.

Mariana Abbate, orientadora educacional de apoio à aprendizagem do Colégio Rio Branco, afirma que essas memórias podem estar associadas a sentimentos positivos ou negativos, mas sempre intensos. “Quando uma experiência emocionalmente carregada acontece, o cérebro humano tende a registrar não apenas os detalhes objetivos do evento, mas também as emoções que estavam sendo experimentadas naquele momento”, diz ela. “Assim, quando relembramos essas memórias, também reexperimentamos as emoções associadas a elas”.

Benefícios das memórias afetivas

A especialista afirma que as memórias afetivas desempenham um papel fundamental no desenvolvimento emocional e psicológico de uma pessoa, especialmente durante a infância. Dentre os benefícios a curto e a longo prazo, ela afirma que as crianças:

  • Sentem-se mais seguras e amadas;
  • Apresentam melhora do desenvolvimento cognitivo;
  • Desenvolvem maiores habilidades sociais, com capacidade de compartilhar, cooperar e ser empáticas com os outros;
  • Possuem menos probabilidade de desenvolver problemas de saúde mental, como depressão e ansiedade;
  • Enfrentam melhor o estresse e as dificuldades da vida adulta;
  • Podem ter relacionamentos interpessoais mais estáveis no futuro.

“As memórias afetivas auxiliam as crianças a entenderem e processarem emoções”, afirma Mariana. “Além disso, experiências emocionalmente ricas contribuem para a formação da autoimagem e identidade da criança e o desenvolvimento de habilidades melhores para regular as próprias emoções. Memórias de momentos de afeto contribuirão para a construção de um indivíduo seguro, confiante e saudável no futuro”.

Como construir memórias afetivas com os filhos?

A orientadora educacional diz que os acontecimentos que apresentam um pico emocional são mais marcantes, porque o cérebro entende como um evento significativo e os guarda para serem úteis em um momento futuro. Normalmente, para as crianças, experiências sensoriais, atividades lúdicas, jogos e brincadeiras são mais marcantes. Para os adolescentes, as atividades mais marcantes estão relacionadas à interação social e ao experimentar algo novo, mas também às brincadeiras.

De acordo com ela, em todas as fases da vida, as memórias afetivas vividas em um ambiente familiar saudável e feliz fazem a diferença na construção da história de cada indivíduo. Algumas atividades que podem ser feitas são:

 

  • Cozinhe em família: escolha datas, músicas e receitas especiais para o momento.
  • Fotografe: rever esses momentos será outra oportunidade para se reunir e reforçar as conexões emocionais.
  • Saia da rotina: planeje uma viagem, uma aula de circo ou de culinária, uma exposição de arte ou a prática de algum esporte.
  • Brinque: pode ser um jogo de tabuleiro ou uma atividade ao ar livre.
  • Comemore: conquistas, festas de aniversários e promoções devem ser celebradas.
  • Dedique seu tempo a quem precisa: seja socialmente responsável e crie laços de carinho e de bondade.
  • Converse: compartilhar histórias pessoais e experiências cria laços emocionais fortes e memórias duradouras.
  • Leia: apresente o mundo por meio de diferentes ferramentas.
  • Transforme um dia difícil em uma lembrança positiva: uma injeção, uma doença ou a perda de animal de estimação podem ser cuidadas com um passeio no parque, uma ida ao cinema ou a um restaurante de preferência.
  • Seja presente: participe das atividades escolares sempre que possível, acompanhe a rotina escolar e escolha programas de interesse das crianças.

Em uma rotina tão corrida, como criar oportunidades?

Mariana Abbate afirma que, mesmo nas atividades rotineiras, é possível encontrar oportunidades para criar memórias afetivas duradouras. “É importante lembrar que memórias afetivas são criadas genuinamente, por isso, o que vale são momentos ricos em carinho, afeto, vínculo e atenção”, diz ela. “Aqui vale a premissa ‘qualidade é melhor que quantidade’”. A especialista dá algumas dicas:

  • Privilegie as refeições: tente pelo menos uma vez por dia reunir a família. Se não for possível, estejam juntos no final de semana.
  • Esteja presente na hora de dormir: leia uma história, cante uma música ou compartilhe como foi o dia. Se não for possível, passe no quarto do seu filho quando chegar e dê boa noite, faça um carinho e diga que sentiu a falta dele durante o dia.
  • Faça uma surpresa: deixe recados, monte o lanche da escola, prepare o café da manhã.
  • Reduza o uso do celular e outras tecnologias: crie oportunidades de interação.

Comentar