O aluno, a escola e a família na contemporaneidade: permanências e mudanças

by Colégio Rio Branco 30. outubro 2017 15:16

O Encontro com a Direção de outubro propôs uma reflexão sobre a contemporaneidade e o papel do aluno, da escola e da família.

A partir do vídeo “Digital transformation: are you ready for exponential change?”, que destaca o mundo atual de infinita conectividade e seus impactos, pais e mães foram provocados a pensar na educação de crianças e jovens, tendo em vista que Tecnologia não é mais recurso e sim, contexto.

Em grupos, os pais levantaram os principais desafios que a contemporaneidade trás: as relações familiares, a sensação da velocidade do tempo, oportunidades da tecnologia, conectividade entre as pessoas.

Pensando nessa perspectiva, cabe à escola estruturar seu currículo de maneira à atender às demandas e os desafios do seu tempo. Por currículo devemos entender todas as experiências, intencionalmente construídas e vividas dentro da escola, para formar os cidadãos.

Para 2018 foi prevista uma inovação curricular que vem ao encontro desse contexto. No horário regular de aula os alunos viverão experiências que favorecem uma visão multidisciplinar do mundo e a reflexão sobre questões do cotidiano. Terão, ainda, oportunidade de ter vivências acadêmicas no Ensino Médio, fazendo uma ponte para o Ensino Superior.

Confira o vídeo!

Encontro com a Direção debate a reforma do Ensino Médio

by Colégio Rio Branco 30. março 2017 14:22

Estamos vivendo um momento importante em que, em termos de políticas públicas, se desenha um novo modelo de Ensino Médio que deve impactar o currículo, os processos seletivos e a organização das escolas como um todo, a médio e longo prazo. O Encontro com a Direção do mês de março discutiu este tema com os pais das unidades Higienópolis e Granja Vianna.

Confira o vídeo.

Agressividade: impactos, razões e limites

by Colégio Rio Branco 28. abril 2016 11:05

Quais os impactos da agressividade? Qual a origem do comportamento agressivo? Como diferenciar um distúrbio de um comportamento da natureza humana? Como atuar com crianças, jovens e nós mesmos, os adultos, para lidar com comportamentos agressivos?

Falar sobre agressividade é um grande desafio, pois precisamos refletir sobre formas de lidar com a questão junto aos nossos filhos, nossa família e dentro de cada um. Assim, tratamos esse tema no Encontro com a Direção de abril, realizado nos dias 27 e 28.

Para apoiar nossa reflexão, assistimos ao vídeo da Psicóloga Infantil Daniella Freixo de Faria, sobre crianças agressivas.

Segundo ela, as crianças, em seu processo de desenvolvimento, aprendem a lidar com seus desejos e seus sentimentos, e necessitam lidar com a existência do outro e do papel do ‘não’. A raiva pode aparecer quando algum desejo não é atendido e a agressão é uma maneira de comunicar esse sentimento, não de maneira consciente ou intencional, mas como uma resposta natural a um desconforto.

Esse processo faz parte do desenvolvimento, mas os adultos, às vezes, ficam assustados, pensando que é algo daquela criança, ou um problema, ou uma característica. Ao olharmos dessa maneira, podemos tornar essa agressividade, de fato, uma característica, criando um rótulo.

Para Daniella Freixo, quando os adultos sentem dificuldade de impor limites, as crianças se acostumam com os desejos sempre atendidos e quando se frustram sentem muita raiva. Por isso, a aprendizagem do ‘não’ é tão essencial, juntamente com a frustração. Adultos precisam ser tranquilos e firmes, pois quando nossos filhos nos veem assustados, sentem medo também. Quando a criança está em descontrole, ela precisa de contenção.

Agressividade como expressão de sentimento

A raiva e a agressividade são inerentes ao ser humano, são como uma energia vital de enfrentamento de perigos naturais da vida. Uma criança que seja totalmente passiva e calma também precisa ser estimulada.

O desafio está em ensinar a controlar a agressividade, assim como os outros impulsos. A tomada de consciência em relação aos próprios sentimentos deve ser estimulada desde cedo, tendo em vista que sentir raiva não é errado, por si só, e o importante é saber lidar com o sentimento.

Em alguns momentos, projetamos expectativas irreais em relação aos filhos. Sentir raiva faz parte da natureza humana e não devemos agir como se ela não devesse existir. A grande pergunta que devemos fazer aos nossos filhos, crianças e jovens, em momentos de agressividade é: “Está com raiva? Por que se sente assim? O que você vai fazer com esse sentimento?”. E impor limites conforme os valores da família: “Nesta casa não se bate porta, nesta casa não se joga no chão...”. Essa postura leva à aprendizagem, à compreensão sobre o sentimento e à contenção da agressividade.

Vale destacar que existem níveis de agressividade e a sua manifestação pode ocorrer por uma carência afetiva, ciúmes, mudança de humor, mudança de fase de desenvolvimento, alterações hormonais e até timidez.

No ambiente escolar, no grande coletivo, não permitimos a expressão da agressividade sem limites, seja em contato físico ou em agressão verbal. Nesse sentido, regras claras e consequências são necessárias para orientar o comportamento de nossas crianças e jovens.

Evitando rótulos

O importante é substituir a afirmação “a pessoa é agressiva” por “a pessoa está agressiva”.

A reação dos adultos à agressividade dos filhos contribui para incentivar ou desestimular o comportamento em questão. Assim, a criança percebe e descobre que isso pode funcionar para obter suas vontades. Nessa área, há muitos jogos emocionais entre os pais e filhos.

Existe um fantasma que é o medo da frustração e isto é uma armadilha! A frustração é necessária para a sobrevivência. Se queremos preparar pessoas competentes, temos que fazer nossos filhos e alunos enfrentarem suas dificuldades e desafios.

Mundo dos adultos

Sabemos que toda relação humana é permeada de conflitos. Pai e mãe são exemplos e os filhos observam as nossas ações no dia a dia. Por isso, é preciso saber colocar limites na agressividade.

Compreender a raiva não significa aceita-la. Assim, é essencial usar o “não”, sabendo que, mesmo com limites, crianças e jovens irão exercitar a transgressão.

Saber viver os conflitos, regulando a raiva, a frustração e o comportamento agressivo, é uma postura que deve partir dos adultos.

Saiba mais

My philosophy for a happy life - Sam Berns

Confira a história de Sam Bernes, um jovem que tem muito mais do que projetos de vida. Muito além de sua rara doença, é um jovem que tem uma atitude positiva diante da vida e de seus desafios.

Criança vê, criança faz

Somos modelos para nossas crianças e jovens. Por isso, precisamos ser a referência. Assista.

Agressivo, passivo ou assertivo?

Conheça as formas como as pessoas se comunicam e seus estilos.

Os múltiplos projetos de vida dos alunos

by Colégio Rio Branco 28. agosto 2015 11:47

Como desenvolver em nossos filhos e alunos a ideia de projeto de vida, o foco em objetivos e a iniciativa para a realização dos sonhos?

Com esta reflexão, abordamos o tema “Vestibular e Enem no projeto de vida dos alunos”, no Encontro com a Direção do mês de agosto, realizado nos dias 26 e 27, nas unidades Granja Vianna e Higienópolis.

Este tema faz parte do dia a dia do Colégio Rio Branco e da vida de nossos alunos, pois atuamos para que nossas crianças e jovens sejam bem sucedidos nas diversas etapas da vida estudantil. Nesse sentido, o ingresso no ensino superior é, também, foco de nosso trabalho pedagógico.

O sucesso para essa etapa prevê um percurso e um trabalho. Assim, no Colégio Rio Branco, atuamos com a ideia de projetos, estimulando e desenvolvendo as múltiplas habilidades e competências. Os valores, os sonhos, as atitudes e os desafios fazem parte de nosso projeto pedagógico, pois acreditamos numa formação humanista e global.

Resultados são obtidos no dia a dia

O Colégio Rio Branco desenvolve diversas ações e projetos para apoiar o aluno em seus projetos de vida.

Com foco na melhoria constante dos resultados acadêmicos, aprovações em universidades e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Colégio Rio Branco tem uma Assessoria de Aprendizagem, Avaliação e Resultados. Esta área também tem o objetivo de apoiar os alunos que desejam estudar em outros países, com orientações específicas, programas de intercâmbios de curta duração para vivência acadêmica e projetos que destacam a formação global.

É importante destacar, também, que em 2015, o Colégio Rio Branco iniciou a implantação da nova Matriz Curricular, que apresenta alterações significativas no 9º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio. Com as adequações na grade curricular, a meta para 2017 é oferecer o 3º ano do Ensino Médio em período integral, com o primeiro semestre contemplando o conteúdo formal e o segundo semestre totalmente revisional, além de módulos nas áreas de Exatas, Humanas e Sociais e Biológicas e Saúde.

Saiba mais sobre as ações do Rio Branco, focadas no Ensino Médio

  • Pré-Vest

Alunos do 3º ano do Ensino Médio contam com o programa pré-vestibular, realizado em parceria com o Intergraus, cursinho renomado.

  • Ciclo de Simulados

Seguindo o mesmo nível de exigência e rigor de concorridos exames do Brasil, o Colégio Rio Branco promove simulados ao longo do ano.

  • Laboratório de Redação

Com o objetivo de estimular os alunos à prática da escrita, o Laboratório de Redação é um espaço permanente de estudo e aprofundamento das habilidades de produção textual.

  • Módulos Eletivos

Contemplando o desenvolvimento de projetos em diferentes áreas, os Módulos Eletivos enriquecem o currículo dos estudantes e despertam talentos múltiplos.

  • Aprofundamento e Estudos Avançados

As atividades abordam temas atuais e relevantes, por meio de palestras, aprofundando o trabalho desenvolvido em sala de aula.

  • Mentoria Escolar

Com o mesmo princípio do coaching, o Colégio Rio Branco realiza o acompanhamento de todos os alunos, quanto à sua rotina de estudos e objetivos pessoais.

Enem e Vestibulares

O Enem é a primeira avaliação brasileira calcada em competências e habilidades e oferece para as escolas dados importantes. Assim, ao longo dos anos, os resultados têm sido avaliados e estudados pelos profissionais do Colégio Rio Branco, em busca das melhores práticas educacionais.

Além de avaliação individual e instrumento de acesso ao ensino superior predominantemente de instituições federais, o Enem é utilizado como certificação do Ensino Médio, para o programa de financiamento universitário PROUNI e também para o acesso ao programa Ciência sem Fronteiras. Essa múltipla função mostra que esse exame é muito mais do que um ranking.

Assim, atuamos para inserir o Enem no projeto de nossos alunos, estimulando a realização da prova de uma maneira consciente e focada, independente do uso que será feito dele.

No último exame, 93% de nossos alunos do 3º ano do Ensino Médio realizaram a prova, mesmo tendo múltiplos e diversos projetos de vida que não necessariamente contemplavam esse exame, que não é obrigatório.

Formando pessoas que façam diferença no mundo

Temos como premissa a formação de pessoas, cidadãos e profissionais felizes, realizados e que possam fazer a diferença na sociedade. O ingresso no ensino superior, seja no Brasil ou em outros países, é umas das mais importantes passagens da vida dos jovens.

Por isso, preparamos nossos alunos para que obtenham bons resultados e, tão importante quanto, realizem seus sonhos e conquistem suas metas pessoais.

Nesse sentido, é preciso trabalhar com as crianças e jovens a ideia de sonhos que sejam tangíveis.

Leia mais

Após o Encontro com a Direção, a diretora-geral do Colégio Rio Branco, Esther Carvalho, escreveu um artigo para o jornal Perfil Econômico. Confira.