O aluno, a escola e a família na contemporaneidade: permanências e mudanças

by Colégio Rio Branco 30. outubro 2017 15:16

O Encontro com a Direção de outubro propôs uma reflexão sobre a contemporaneidade e o papel do aluno, da escola e da família.

A partir do vídeo “Digital transformation: are you ready for exponential change?”, que destaca o mundo atual de infinita conectividade e seus impactos, pais e mães foram provocados a pensar na educação de crianças e jovens, tendo em vista que Tecnologia não é mais recurso e sim, contexto.

Em grupos, os pais levantaram os principais desafios que a contemporaneidade trás: as relações familiares, a sensação da velocidade do tempo, oportunidades da tecnologia, conectividade entre as pessoas.

Pensando nessa perspectiva, cabe à escola estruturar seu currículo de maneira à atender às demandas e os desafios do seu tempo. Por currículo devemos entender todas as experiências, intencionalmente construídas e vividas dentro da escola, para formar os cidadãos.

Para 2018 foi prevista uma inovação curricular que vem ao encontro desse contexto. No horário regular de aula os alunos viverão experiências que favorecem uma visão multidisciplinar do mundo e a reflexão sobre questões do cotidiano. Terão, ainda, oportunidade de ter vivências acadêmicas no Ensino Médio, fazendo uma ponte para o Ensino Superior.

Confira o vídeo!

Encontro com a Direção debate prevenção ao uso de drogas

by Colégio Rio Branco 30. setembro 2017 14:52

O Encontro com a Direção de setembro debateu um tema complexo e desafiador, que é a prevenção ao uso de drogas lícitas e ilícitas. Esta edição foi especial pois contou com a presença do Dr. Anthony Wong, uma referência na área - médico pediatra, professor de Toxicologia Clínica e de Farmacovigilância e Chefe do Centro de Assistência Toxicológica do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

O ciclo de palestras aconteceu entre os dias 27 de setembro e 03 de outubro, nas unidades Higienópolis e Granja Vianna, envolvendo encontros diferentes entre pais  de todas as séries e alunos e professores  do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio.

Confira o vídeo!

As diversas drogas existentes e seus efeitos e impactos na formação e desenvolvimento dos jovens foram aspectos destacados pelo médico, que reforçou a importância da informação para a prevenção, na escola e na família.

Fatos e dados sobre o uso de drogas trazidos pelo especialista:

  • 70% das vitimas fatais no trânsito tinham consumido álcool ou drogas (IML-SP, 2002);
  • Desde 2008, o consumo de cocaína/crack tem superado todas as outras drogas nas empresas no Brasil;
  • Os efeitos da maconha na coordenação e no psiquismo é mais grave do que o álcool ou a anfetamina (rebite);
  • O uso concomitante de álcool e maconha tem efeitos prolongados e imprevisíveis;
  • Novas drogas ou velhas mais fortes estão disponíveis;
  • Até 85% dos adolescentes já beberam, 30% tiveram “porre” e 67% já experimentaram maconha antes dos 16 anos;
  • O comércio de drogas movimenta US$850 bilhões anualmente;
  • O consumo abusivo de remédios lícitos (diazepínicos, oxicodona, analgésicos, estimulantes) supera o das drogas ilícitas (2:1);
  • 3,3 milhões de pessoas morrem todo ano devido ao álcool;
  • 1,1 bilhão de pessoas fumam tabaco;
  • O consumo de álcool é cada vez maior entre jovens menores;
  • As drogas são hoje mais potentes que há 20 anos.

A banalização do uso de drogas, a busca por novas sensações, a ansiedade, a pressão do grupo e modelos familiares são, segundo o especialista, fatores que podem levar ao uso de drogas. Por outro lado, ainda segundo ele, o medo das drogas, a pressão negativa do grupo, os valores morais, modelos familiares positivos e informações podem evitar que os jovens consumam drogas.

"O uso de qualquer substância com ação neurológica traz consequências imprevisíveis ao cérebro imaturo do jovem. Todos os órgãos e sistemas do jovem são mais suscetíveis aos danos das doses elevadas e repetidas de substâncias químicas, como por exemplo, o álcool e a maconha", destacou Dr. Anthony Wong.

O caminho para lidar com a complexidade do tema das Drogas é a informação, a parceria, a reflexão e ação  dos adultos que são os responsáveis pelo cuidado, pela prevenção e pela formação de suas crianças e jovens.

Como desenvolver, desde cedo, bons hábitos de estudo?

by Colégio Rio Branco 30. junho 2017 13:21

Como desenvolver, desde cedo, bons hábitos de estudo? Esse é um desafio muito importante para pais e educadores e foi abordado no Encontro com a Direção de junho, conduzido pelas orientadoras de Apoio à Aprendizagem, Juliana Gois, em Higienópolis, e Carla Marquat, na Granja Vianna.

As educadoras apresentaram aos pais diversos aspectos e estudos com base nas neurociências. Do ponto de vista neurobiológico, aprendizagem é a aquisição de novos comportamentos, que resultam em atividade cerebral. O cérebro, portanto, é o órgão da aprendizagem, apesar de não ser o único responsável por ela.

É importante destacar que diferentes habilidades cognitivas, como percepção, atenção, memória, e linguagem estão envolvidas no processo ensino-aprendizagem.

Com vistas ao melhor o desenvolvimento da aprendizagem destacou-se as chamadas "Funções Executivas", base do comportamento intencional. Trata-se de um conjunto de habilidades que, de forma integrada, permitem ao indivíduo direcionar comportamentos a metas, avaliar a eficiência e a adequação desses comportamentos, abandonar estratégias ineficientes em prol de outras mais eficientes e, desse modo, resolver problemas imediatos, de médio e de longo prazo. Essas habilidades surgem no primeiro ano de vida e se desenvolvem até o final da adolescência.

Vale ressaltar que a motivação é essencial e cabe aos pais e educadores buscarem estratégias que despertem o interesse das crianças e jovens para o aprender. Seguem algumas sugestões:

  • Estimular habilidades como resiliência, curiosidade e perseverança - elas são fundamentais para ser bem sucedido tanto na escola e quanto na vida;
  • Colocar a educação escolar no dia a dia - conversar sobre o que aprendeu naquele dia, sobre os amigos, sobre as atividades. Com os mais velhos, podemos falar sobre as perspectivas para o futuro, como o ingresso no ensino superior;
  • Valorizar o conhecimento, os professores e a aprendizagem - o aluno aprende o valor da educação também quando percebe o quanto isso é importante para a família;
  • Apoiar o protagonismo do aluno - valorizar e acreditar que eles são capazes de realizar o que querem;
  • Ampliar o universo cultural e esportivo – atividades culturais estimulam a curiosidade e o senso crítico.

Aprender mais e melhor também é algo relacionado a outros aspectos importantes, como o acompanhamento do desempenho escolar, o respeito aos diferentes perfis cognitivos, a valorização de desafios e a atenção ao bem-estar, saúde, alimentação e sono.

Assista ao vídeo com as dicas da orientadora Juliana Gois.

Para desenvolver a determinação em nossas crianças e jovens

by Colégio Rio Branco 31. março 2016 18:15

Como desenvolver a determinação em nossas crianças e jovens para que possam buscar seus objetivos? Para buscar respostas a essa importante questão, estivemos reunidos no Encontro com a Direção, nos dias 30 e 31 de março.

Nossa conversa foi inspirada por uma TED Talk com Angela Lee Duckworth, que fala sobre a determinação ou “Grit”, em inglês, e seu impacto no sucesso das pessoas. Em português, "Grit" estaria mais próximo do significado de garra.

Segundo ela, paixão e perseverança são fundamentais para a determinação, além do trabalho contínuo para transformar sonhos em realidade. É essencial reunir as melhores ideias e as mais fortes intuições e colocá-las em teste, tendo sempre em mente que falhar não é uma condição permanente, enfrentando o fato de que, se falharmos, podemos começar outra vez, aprendendo com as diversas circunstâncias. Confira.

Valorização da determinação

O que faz as pessoas buscarem com toda a energia seus objetivos? O que faz as pessoas terem sucesso? A partir dessas reflexões, apresentamos nossas visões pessoais sobre o que é ter sucesso, tendo em vista que ser bem sucedido depende da meta de cada um. O que deve ser algo comum é a energia que dedicamos para atingir os objetivos.

Para nossas crianças e jovens somos referência sobre valores, metas e sucesso. Sem dúvida, valorizar e estimular os talentos múltiplos é importante, mas é preciso saber que muitas vezes o talento é desperdiçado, pois não há um projeto concreto ou a definição de um caminho a ser percorrido.

Outro desafio é a questão do tempo, pois vivemos em um mundo em que todos querem que as conquistas e a realização dos desejos sejam rápidas e instantâneas. Assim, a palavra ‘esforço’ é muito importante no dia a dia, apoiando os planos a curto, médio e longo prazo.

Na escola

Desde o Ensino Fundamental II, trabalhamos com as crianças com a ideia de projeto de vida, ensinando os alunos a elaborarem metas e traçarem objetivos. Outro trabalho é a Mentoria, que oferece um apoio especial às crianças e jovens no desenvolvimento de seus planos.

No Colégio Rio Branco, acreditamos na diversidade, pois vivemos e viveremos, em todos os âmbitos de nossas vidas, na diversidade. Essa vivência é a condição que damos para que nossos alunos sejam competentes em qualquer lugar.

A escola quer formar pessoas plenas, solidárias, éticas e preocupadas com a sociedade. Por isso, o estímulo ao desenvolvimento das competências não cognitivas, como disciplina, criatividade, colaboração, trabalho em equipe, é tão importante quanto a busca por resultados acadêmicos.

O poder do "Ainda"

Sofrimentos, decepções e frustrações fazem parte do processo de desenvolvimento das pessoas e precisamos lidar com essas questões quando elas ocorrem com nossas crianças e jovens. É importante acreditar que os filhos são mais fortes do que imaginamos e colocá-los sempre na zona de conforto pode não ser a melhor forma de estimular a determinação.

Em mais uma referência para nossas discussões, a pesquisadora Carol Dweck fala sobre a Mentalidade do Crescimento, ou “Grouth Mindset”, que coloca o foco na perspectiva do “ainda”, como uma valorização do trajeto percorrido com esforço e dedicação. Quando falamos para nossas crianças e jovens algo como “você AINDA não chegou lá” ou “você AINDA não atingiu suas metas”, conseguimos contribuir para o fortalecimento do processo de formação da determinação.

Assim, a pesquisadora fala da importância do elogio com sabedoria e significado. Para formar crianças mais corajosas e resilientes, é necessário elogiar o esforço, a estratégia, o foco, a perseverança e o aperfeiçoamento. Veja.

Construção no dia a dia

Hoje, quando recebemos uma criança de um ano e meio para o Minimaternal, sabemos que ela terminará o Ensino Médio em 2032. Como estará o mundo? Como será o mercado de trabalho? Não sabemos responder ao certo. Por isso, temos o dever de, juntos, família e escola, formar e preparar os cidadãos para esse futuro.

A construção da determinação é algo que ocorre no dia a dia. As experiências cotidianas, a rotina e as referências que oferecemos são essenciais nesse processo.

 

Confira o depoimento da mãe riobranquina Juliana Kaufmann

Como sempre o momento do Encontro com a Direção é muito gostoso, mas infelizmente um tanto curto para chegarmos à uma conclusão sobre o tema. Mesmo assim, eu sempre tiro proveito do que recebo de informação e troca de experiências!

Me desculpem por ocupar vosso tempo! Eu passei o dia filosofando sobre o assunto e gostaria de expor ou compartilhar um pouco dos meus pensamentos com vocês. Hoje, nós falamos sobre: Determinação ou Garra e de Mentalidade do Crescimento.

Um colega citou que: a personalidade do indivíduo é um ponto chave para a determinação, ou seja, pessoas nascem com essa qualidade ou não. Mas, também podemos obter condições externas para sermos determinados! Nossa família, nossa condição econômica, a sociedade em que vivemos... a escola que nos forma e educa.

Há uma série de fatores que levam uma pessoa ser ou ter mais Garra que outra. Também, existem momentos na vida que nos levam a tal situação, motivação ou desmotivação!

Falamos que: as pessoas que têm menores condições socioeconômicas, de um modo geral têm mais Força para conquistar seus objetivos, do que as pessoas que têm tudo. Desculpe, mas eu discordo um pouco: acho que depende muito do valor que se dá às coisas da vida!! O que traz felicidade!! Tem muita gente pobre que continua na pobreza e tem muita gente rica que valoriza o que tem e possui bastante motivação para a vida, para realizar sonhos e conquistar ideais!!

O que nos faz ir em frente sempre? Acho que a emoção. Mais do que a razão, nossa Emoção está acima de tudo. Quem tem uma boa autoestima tem mais firmeza e confiança em si, para ir além, para conquistar!!

Agora, como estimular ou fazer desabrochar tudo isso em quem não nasceu assim, ou naquele que não tem ou não teve estímulos e condições para ser Determinado ou ter Garra?

A história de vida de cada um, os acertos e erros, as conquistas e derrotas, tudo conta para a Mentalidade do Crescimento. Penso, também, que Garra ou Determinação não definem a Felicidade, pois há pessoas felizes que são pacatas, tranquilas, serenas ou simples... e são felizes assim.

Outros que são Determinados e que tem Garra, pelo fato de estarem sempre buscando mais, e quando não conseguem conquistar seus objetivos, podem tornar-se depressivos...

Enfim, é um assunto que não se fecha, ou não se conclui, pois tem os mistérios que o ser humano carrega... não somos exatos como a matemática...!!!

Um beijo e um abraço,

Juliana

A formação de valores e a construção da autonomia moral de nossos filhos e alunos

by Colégio Rio Branco 16. novembro 2015 13:38

Em nosso Encontro com a Direção do mês de outubro, realizado nos dias 28 e 29, nas unidades Granja Vianna e Higienópolis, discutimos o tema “A formação de valores e a construção da autonomia moral de nossos filhos e alunos”.

Nossa conversa foi inspirada no vídeo Formação de Valores e no artigo “A construção da autonomia: uma conquista para toda a vida”, de Telma Vinha, pedagoga, doutora em Educação e professora da Faculdade de Educação da Unicamp.

As pessoas enfrentam, a todo o tempo, dilemas morais e éticos e tomam atitudes diferentes diante das mesmas situações. Por que isso ocorre?

Para a educadora, é preciso ter conhecimento sobre as regras, o que deve e o que não deve ser feito diante das situações. Muitas vezes esse conhecimento não gera a ação. O que faz com que uma regra seja efetiva é a afetividade nela envolvida. O afeto faz com que as pessoas tenham valores.

A construção da autonomia moral se dá na interação, pois o ser humano é social. Jean Piaget, estudioso da psicologia infantil, diz que a criança nasce em estado de anomia, que é a ausência total de regras. Na idade até os 3 anos, a criança é voltada para suas necessidades básicas individuais. Dos 3 aos 8 anos de idade, a criança vive em estado de heteronomia, ou seja as regras e sanções veem de fora para dentro. Na autonomia, as regras e os valores estão incorporados ao indivíduo, não sendo, em situação ideal, necessárias sanções. A autonomia é adquirida quando as normas foram compreendidas e absorvidas. Existem diferentes níveis de hetoronomia e autonomia, inclusive no mundo adulto.

Coerência nas ações do dia a dia

Para dar significado às regras e princípios, fazendo com que se tornem valores, nós adultos precisamos criar mecanismos para que crianças ganhem, aos poucos, consciência de seus atos. Vale lembrar que quanto mais a pessoa entende que faz parte de um conjunto, de uma comunidade, de uma sociedade, mais se expressa a autonomia.

Essa trajetória não se estabelece apenas com o discurso. Não apenas falamos de ética e respeito, mas devemos viver situações que sirvam como exemplo para nossas crianças e jovens.

Educar é um exercício sem receita, vivido no dia a dia em família e na escola. Muito mais do que ser uma pessoa educada, é preciso formar pessoas que reconheçam a importância do outro.

Dar autonomia aos nossos filhos é permitir que eles assumam as consequências de seus atos. Ter autonomia é saber escolher e ter responsabilidade.

Coerência e constância nas ações e nas palavras. Essa é a grande resposta aos pais que querem dar bons exemplos aos filhos na construção da autonomia moral.

Como a escola trabalha a construção da autonomia

No Colégio Rio Branco, estimulamos em nossos alunos a ideia de projeto de vida. Nosso objetivo é fazer com que as crianças e jovens atuem para desenvolver projetos, criando metas de curto prazo, tendo em vista que pequenas metas se transformam em grandes realizações.

Entendemos que os alunos podem exercitar suas escolhas no espaço das atividades extracurriculares e dos módulos eletivos, que exploram o protagonismo, a criatividade, a inovação e as habilidades artísticas e corporais.

A afetividade é colocada em todas as ações do cotidiano, estimulando a reflexão e a compreensão das atitudes, dos sentimentos e das relações com o grupo.

Escolhas e consequências são vividas o tempo todo como elementos formadores de nossas crianças e jovens. Procuramos ensiná-los a fazer escolhas certas e a assumir as consequências de seus atos. Sanções eventualmente impostas vêm no sentido de fazê-los perceber, num universo coletivo, o quanto os atos individuais impactam no coletivo. É um grande aprendizado entre todos.

Como instituição ligada ao PEA - Programa de Escola Associadas da Unesco, o Colégio Rio Branco segue uma agenda que tem por princípio que a guerra está, principalmente, na cabeça das pessoas e, por meio da Educação, é que se pode desenvolver uma cultura de paz. Ações cotidianas, projetos e reflexões no ambiente escolar vão, gradualmente, contribuindo para a construção da autonomia moral e para a consolidação de valores sintonizados com a vida humana, com a preservação do meio ambiente e com a solidariedade.

Os múltiplos projetos de vida dos alunos

by Colégio Rio Branco 28. agosto 2015 11:47

Como desenvolver em nossos filhos e alunos a ideia de projeto de vida, o foco em objetivos e a iniciativa para a realização dos sonhos?

Com esta reflexão, abordamos o tema “Vestibular e Enem no projeto de vida dos alunos”, no Encontro com a Direção do mês de agosto, realizado nos dias 26 e 27, nas unidades Granja Vianna e Higienópolis.

Este tema faz parte do dia a dia do Colégio Rio Branco e da vida de nossos alunos, pois atuamos para que nossas crianças e jovens sejam bem sucedidos nas diversas etapas da vida estudantil. Nesse sentido, o ingresso no ensino superior é, também, foco de nosso trabalho pedagógico.

O sucesso para essa etapa prevê um percurso e um trabalho. Assim, no Colégio Rio Branco, atuamos com a ideia de projetos, estimulando e desenvolvendo as múltiplas habilidades e competências. Os valores, os sonhos, as atitudes e os desafios fazem parte de nosso projeto pedagógico, pois acreditamos numa formação humanista e global.

Resultados são obtidos no dia a dia

O Colégio Rio Branco desenvolve diversas ações e projetos para apoiar o aluno em seus projetos de vida.

Com foco na melhoria constante dos resultados acadêmicos, aprovações em universidades e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Colégio Rio Branco tem uma Assessoria de Aprendizagem, Avaliação e Resultados. Esta área também tem o objetivo de apoiar os alunos que desejam estudar em outros países, com orientações específicas, programas de intercâmbios de curta duração para vivência acadêmica e projetos que destacam a formação global.

É importante destacar, também, que em 2015, o Colégio Rio Branco iniciou a implantação da nova Matriz Curricular, que apresenta alterações significativas no 9º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio. Com as adequações na grade curricular, a meta para 2017 é oferecer o 3º ano do Ensino Médio em período integral, com o primeiro semestre contemplando o conteúdo formal e o segundo semestre totalmente revisional, além de módulos nas áreas de Exatas, Humanas e Sociais e Biológicas e Saúde.

Saiba mais sobre as ações do Rio Branco, focadas no Ensino Médio

  • Pré-Vest

Alunos do 3º ano do Ensino Médio contam com o programa pré-vestibular, realizado em parceria com o Intergraus, cursinho renomado.

  • Ciclo de Simulados

Seguindo o mesmo nível de exigência e rigor de concorridos exames do Brasil, o Colégio Rio Branco promove simulados ao longo do ano.

  • Laboratório de Redação

Com o objetivo de estimular os alunos à prática da escrita, o Laboratório de Redação é um espaço permanente de estudo e aprofundamento das habilidades de produção textual.

  • Módulos Eletivos

Contemplando o desenvolvimento de projetos em diferentes áreas, os Módulos Eletivos enriquecem o currículo dos estudantes e despertam talentos múltiplos.

  • Aprofundamento e Estudos Avançados

As atividades abordam temas atuais e relevantes, por meio de palestras, aprofundando o trabalho desenvolvido em sala de aula.

  • Mentoria Escolar

Com o mesmo princípio do coaching, o Colégio Rio Branco realiza o acompanhamento de todos os alunos, quanto à sua rotina de estudos e objetivos pessoais.

Enem e Vestibulares

O Enem é a primeira avaliação brasileira calcada em competências e habilidades e oferece para as escolas dados importantes. Assim, ao longo dos anos, os resultados têm sido avaliados e estudados pelos profissionais do Colégio Rio Branco, em busca das melhores práticas educacionais.

Além de avaliação individual e instrumento de acesso ao ensino superior predominantemente de instituições federais, o Enem é utilizado como certificação do Ensino Médio, para o programa de financiamento universitário PROUNI e também para o acesso ao programa Ciência sem Fronteiras. Essa múltipla função mostra que esse exame é muito mais do que um ranking.

Assim, atuamos para inserir o Enem no projeto de nossos alunos, estimulando a realização da prova de uma maneira consciente e focada, independente do uso que será feito dele.

No último exame, 93% de nossos alunos do 3º ano do Ensino Médio realizaram a prova, mesmo tendo múltiplos e diversos projetos de vida que não necessariamente contemplavam esse exame, que não é obrigatório.

Formando pessoas que façam diferença no mundo

Temos como premissa a formação de pessoas, cidadãos e profissionais felizes, realizados e que possam fazer a diferença na sociedade. O ingresso no ensino superior, seja no Brasil ou em outros países, é umas das mais importantes passagens da vida dos jovens.

Por isso, preparamos nossos alunos para que obtenham bons resultados e, tão importante quanto, realizem seus sonhos e conquistem suas metas pessoais.

Nesse sentido, é preciso trabalhar com as crianças e jovens a ideia de sonhos que sejam tangíveis.

Leia mais

Após o Encontro com a Direção, a diretora-geral do Colégio Rio Branco, Esther Carvalho, escreveu um artigo para o jornal Perfil Econômico. Confira.