02/12/2014

Colégio Rio Branco promove palestra sobre Ensino Superior na Finlândia

A Fundação de Rotarianos de São Paulo e o Colégio Rio Branco, em cooperação com o Center for International Mobility (Cimo), vinculado ao Ministério de Educação da Finlândia, e a Embaixada da Finlândia no Brasil, promoveram, no dia 1° de dezembro, o seminário “Faça o Ensino Superior na Finlândia”, com importantes informações para o ingresso gratuito de brasileiros nas universidades do país europeu.

As universidades finlandesas estão entre as melhores do mundo, conforme a última edição do Times Higher Education (THE), sendo cursos de graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado e PhD em diversas áreas do conhecimento. A Finlândia tem grandes expectativas em relação à chegada de brasileiros às universidades. A educação superior no país é acessível a todos, incluindo estrangeiros. Não é apenas o acesso que chama a atenção no ensino superior finlandês, mas primordialmente a qualidade dos cursos.

A abertura do evento contou com a participação do superintendente da Fundação de Rotarianos de São Paulo, Marco Rossi, e da diretora-geral do Colégio Rio Branco, Esther Carvalho, com a participação especial dos alunos do 3° ano do Ensino Médio, Amanda Cruz Francesconi e Thiago Schlieper Gouvêa, como mestres de cerimônia.

“Estamos muito otimistas com essa nova parceria com a Finlândia. Tanto para os nossos alunos quanto para os nossos professores, é uma troca muito grande de experiência e conhecimentos”, destacou Marco Rossi.

As palestrantes convidadas foram Raisa Ojala, Project Officer da Embaixada da Finlândia no Brasil, Heidi Hänninen, International Communications Manager da Cimo, e Lucas Machado, aluno convidado que realizou intercâmbio para estudar na Finlândia.


Os palestrantes Heidi Hänninen, Lucas Machado e Raisa Ojala

Heidi Hänninen iniciou sua palestra contando sobre como é a Finlândia e suas características, como as quatro estações bem marcadas e definidas; produção de alta tecnologia; sistema de educação oferecido; entre outros aspectos. A palestrante falou, ainda, sobre o sistema de estudo na Finlândia, que conta com dois tipos de instituições, as Universidades Acadêmicas e as conhecidas como Politécnicas. “Na Finlândia você pode estudar em inglês, as apostilas e as aulas são em inglês, é importante que você seja compreendido e que as pessoas também te compreendam”, destacou.

Todo o processo para estudar na Finlândia é realizado no Brasil. O pedido de admissão, a escolha para de faculdade e curso, a prova de admissão para analisar o nível de inglês do candidato e o visto são feitos em Brasília, na Embaixada da Finlândia.

Raisa Ojala, gerente de Projetos da Embaixada da Finlândia no Brasil, destacou que o ensino é gratuito, já que é custeado pelo país europeu e o estudante é responsável pelos gastos pessoais de moradia e alimentação. Segundo ela, o processo para retirada do visto é simples: é preciso comprovar um renda de cerca de 6.700 € (Euros) para que o aluno possa se manter no país durante os estudos, apresentar um cartão de seguro saúde, carteirinha de estudante para obtenção de descontos, entre outros.

Lucas Machado, desenvolvedor de Softwares, estudou da Tampere University e falou sobre sua experiência durante o intercâmbio. “Meu custo de vida não era muito caro e com o cartão de estudante tinha descontos em vários lugares. A educação, no meu caso, foi espetacular, posso afirmar que é a melhor educação do mundo, assim como ela é reconhecida.” Para o Lucas, o sistema de educação é bem diferente comparado ao do Brasil, sendo possível montar o seu plano de estudos, a ordem, período, horário, com muita flexibilidade.

A Fundação de Rotarianos de São Paulo mantém um estreito relacionamento com a Finlândia desde 2006. Em outubro, o superintendente Marco Rossi esteve no país em ação de benchmarking internacional e, em novembro, a instituição recebeu a visita do Embaixador da Finlândia no Brasil, Markku Virri.


Marco Rossi, Raisa Ojala, Heidi Hänninen e Lucas Machado

 

Galeria de fotos