13/09/2018

Cotidiano em Questão: alunos aprofundam debates sobre questões populacionais

Os alunos do 8° ano do Ensino Fundamental da Unidade Higienópolis ampliaram seus conhecimentos sobre questões populacionais, durante as aulas do Cotidiano em Questão – CoQuest, que envolve Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Cultura Maker.

A proposta da atividade era que os alunos sugerissem e elencassem ideias e temáticas, realizassem discussões, elaborassem pesquisas seguindo o roteiro estudado e construíssem um material de aprofundamento para as discussões com autores, referências e citações.

“Os trabalhos do Coquest pressupõem a ideia de mão na massa, de alunos produzirem e exporem um trabalho, saindo de dentro da sala de aula e apresentando para todo o colégio para toda a comunidade”, explicou Pedro Castellan, um dos professores responsáveis pela atividade.

 


O grupo de alunos que realizou o trabalho sobre o Aborto

Diversos aspectos relacionados ao tema central, como imigração, aborto, crescimento populacional, demografia, guerras, consumismo, poluição e muitos outros, foram levantados pelos alunos. A partir das discussões e pesquisas, diversos trabalhos foram produzidos e abordaram os múltiplos temas.

“Utilizando a criatividade e a sensibilidade, os grupos, após o trabalho de pesquisa e aprofundamento no tema definido, tinham por objetivo criar um material de divulgação que tivesse por objetivo materializar a pesquisa realizada e conscientizar a comunidade escolar para os temas”, explicou o professor.

Um dos trabalhos teve como tema o Aborto. Os alunos destacaram todas as possíveis dificuldades que levam uma mulher a fazer um aborto e quais os impactos, levantando uma discussão sobre a legalização ou não do aborto. O outro grupo utilizou Lego para falar sobre a Imigração. Pensaram na problemática e todos os obstáculos que os imigrantes encontram em suas trajetórias. Assim, o Lego foi utilizado como um labirinto e cada barreira foi nomeada como um obstáculo que o imigrante passa, como o preconceito, a dificuldade da língua do país, os julgamentos, a falta de oportunidade, entre outras.

Os professores responsáveis por esse projeto foram Pedro Castellan, Adriana e Jorge Farias.

Trabalho que utilizou legos para retratar a imigração